01 outubro 2013

Após 'entalar' na catraca do ônibus, jovem muda a dieta e perde 57 kg


Refrigerante no almoço e jantar, salgadinho e bolacha recheada eram quase obrigação no dia a dia do jovem Rafael Oliveira Pontoni, de 22 anos. Além de comer mal, o paulistano costumava chegar da escola e dormir durante toda a tarde, sem praticar nenhum tipo de atividade física - hábitos que o fizeram chegar aos 137 kg aos 20 anos de idade.

“O peso prejudicou minha adolescência. Sempre fui o gordinho na escola e comecei a ter problemas de autoestima”, lembra. Rafael já havia tentado emagrecer com soluções radicais, como passar um dia sem comer, por exemplo, mas nunca adiantou. Até que um dia ele recebeu um alerta que, segundo ele, “foi o fim”. “Fui passar na catraca do ônibus e entalei. Tive que ficar na parte da frente e me deu uma vontade enorme de chorar”, conta o auxiliar administrativo. Depois daquele momento, ele decidiu que mudaria seu estilo de vida e começaria uma dieta rigorosa.

De imediato, Rafael cortou os doces, as frituras e o refrigerante e começou a comer arroz, salada e carnes assadas ou grelhadas. “Comecei a tomar 2 litros de água por dia também. Foi muito difícil no começo, só tive mais força para continuar quando percebi que já tinha emagrecido alguns quilos", lembra. Apenas com a mudança na alimentação, o jovem conseguiu perder 40 kg e cerca de um ano depois, resolveu que era hora de procurar uma academia.

“Estava com 97 kg quando comecei a me exercitar. No início, eu era o único gordinho malhando e era estranho, mas fui me acostumando”, conta. O paulistano começou com caminhadas leves na esteira e, 4 meses depois, passou a se arriscar na corrida e também na musculação. ‘Hoje em dia eu corro de 40 minutos a 1 hora, de segunda a sexta-feira”, diz satisfeito.

Depois que juntou a dieta à atividade física, Rafael finalmente chegou ao peso atual: 80 kg, 57 kg a menos do que estava no dia em que não passou na catraca do ônibus. “Hoje em dia eu já me permito comer algo que eu gosto uma vez por semana, mas sei me controlar, coisa que antes eu não conseguia”, afirma.


Uma das vitórias que ele mais comemora é o fato de poder comprar roupas que gosta, não as que servem. “Antes eu comprava o que tinha, não o que gostava. Usava XXG e agora eu uso M e às vezes, até P. Então qualquer roupa que eu quero, eu posso comprar”, celebra. Por esse e outros motivos, o jovem foi recuperando sua autoestima e começou a sair e a conhecer pessoas novas. “Saí do casulo. Tudo mudou em mim”, avalia.

Para Rafael, uma das melhores sensações depois ter perdido peso foi a de provar para si mesmo e para os outros sua capacidade. “As pessoas me viam e comentavam com a minha mãe que eu estava gordo e hoje elas não acreditam quando me veem”, conta. O paulistano acredita que o principal é ter força de vontade e foco. “Tem que querer realmente emagrecer, é um processo para toda a vida”, defende. Questionado se há o risco de ele ganhar peso novamente, ele é decisivo na resposta. “Já faz mais de um ano e meio que estou assim, então estou seguro de que não mudo mais”, conclui.

Penso que toda transformação é possível desde que a pessoa tenha força de vontade. Não adianta dizer que irá mudar os hábito amanhã se por dentro você sabe que isso não vai acontecer. Eu sempre gosto de recomendar um nutricionista e educador físico para estarem auxiliando nestas decisões.

Essa postagem não foi escrita por mim, ela foi retirada do site G1. Você pode conferir a matéria original no seguinte link: G1

0 Comentários: