11 agosto 2015

Nutrição Funcional: Benefícios do Alho


Há cerca de 5.000 anos o alho tem sido usado medicamente, sendo considerado por médicos e profissionais da saúde uma das plantas medicinais mais versáteis e eficazes.

O bulbo do alho possui amplo aspecto de ação sobre bactérias e fungos. O óleo essencial, extratos aquosos e etanólicos e o suco inibem, in vitro, o crescimento de várias espécies de bactérias.

A atividade do alho no combate ao colesterol ruim também é bem definida em estudos feitos em animais e tem sido atribuída a presença de uma substância chamada de disulfeto dialil. Além de ajudar a regular o colesterol foi mostrado, por meio de estudos em animais, que o alho também ajuda a diminuir a pressão sanguínea.

A alicina, substância extraída do alho quando o mesmo passa por um processo de trituração, se mostrou eficaz quando consumida oralmente para diminuição dos níveis de glicose (açúcar) no sangue. Sem falar que a alicina também intensifica a produção de insula e evita a oxidação da mesma.

Como puderam observar o alho tem várias propriedades benéficas para o nosso organismo. Além das citadas acima é importante ressaltar que ele também é anti-inflamatório, antiviral e vasodilatador.

Nome botânico: Allium sativum L.
Parte utilizada: Bulbo
Posologia:

- 2g a 5g do bulbo de alho cru
- 0,5 a 1,5 do pó seco
- 2mg a 5mg do óleo de alho
- 300mg a 1000mg do extrato de alho
- 2ml a 4ml de tintura de alho (até 3 vezes ao dia diluídos em água)

O bulbo de alho deve ser administrado junto das refeições (antes) para prevenir a ocorrência de distúrbios gastrointestinais.

O suplemento de alho não é indicado durante a amamentação, pois alguns estudos mostraram que ele pode causar cólica nos lactentes.

Referências:
Nutrição Clínica Funcional: Fitoterapia, autora Natália Marques, 2º edição, VP Editora. 

0 Comentários: